segunda-feira, 30 de abril de 2012

O Seis de Abril


Era chuva, naquela noite. E era também muito tarde e frio, mas teimaste em ficar comigo debaixo do toldo daquele café antigo da praça, só porque sim e porque eu queria. Disseste que não gostavas dos meus sapatos. Sabes...eu aceitei, só porque eras tu e porque me sinto um algodão-doce quando olhas para mim e porque quando me abraças, abraças mesmo e eu paro de respirar até.
Depois pensei que não podia ser, e que não merecias que eu ficasse ali ao frio só para te ver sorrir, e tu sorriste. E eu fiquei. Sabes...até valeu a pena, porque apesar de não gostares dos meus sapatos, desceste a rua à chuva só para me levares a casa e para me olhares e para me abraçares. E para deixares no ar aquele cheiro que antecede um beijo, que nunca aconteceu.

Chove.


Alice

Nenhum comentário:

Postar um comentário